Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/20.500.12494/9885
Exportar a:
Title: Avaliação de parâmetros comportamentais, hematológicos e sanitários na utilização de flocos de pinus elliottii como forração de gaiolas para camundongos isogênicos
Author: Gomes Chagas, Danielle Cristina
Pereira Afonso, Juliane
Pereira Da Silva, Luiz
Domingos Silva, Anderson
Pereira Batista, Jonatas
Boscardin, Silvia Beatriz
Farias Marinho, Cláudio Romero
Resume: Introdução: a forração de gaiolas para animais de laboratório, assim como o tempo de higienização delas, é um dos fatores mais importantes para seu microambiente. Este trabalho teve como objetivo avaliar dois tipos de forração de gaiolas, com tempo de higienização quinzenal. Metodologia: avaliamos dois tipos de forração de gaiolas, provenientes da madeira com gramaturas diferenciadas, maravalha e flocos de Pinus elliottii. Os animais foram pesados e medidas das patas traseiras foram aferidas semanalmente. Dados de comportamento, como movimentação nas gaiolas, nidificação, mortalidade, fertilidade entre outros, também foram realizados durante todo o estudo por meio de gravações noturnas e diurnas, assim como amostras de sangue foram coletadas para análise hematológica. Resultados: a forração de gaiolas com flocos de Pinus foi considerada uma eficaz substituição à de maravalha na higienização quinzenal; na avaliação fisiológica, não houve diferença significativa entre as duas forrações quanto a peso, temperatura e medida das patas traseiras; já na análise hematológica entre os grupos, os animais mantidos em gaiolas com forração de maravalha com higienização quinzenal apresentaram um aumento nos valores de hematócrito. Esses resultados foram corroborados pelo exame histopatológico dos pulmões de animais Balb/c, que revelaram congestão pulmonar, edema peribronquiolar e peripleural sugerindo síndrome respiratória. Conclusões: o flocos de Pinus foi considerado uma boa opção como forração de gaiolas, visto que o material foi considerado eficaz por não trazer danos respiratórios aos animais mantidos em confinamento pelo período de duas semanas sem higienização e por manter o mesmo perfil de comportamento que a maravalha de Pinus.
Type: info:eu-repo/semantics/article
info:eu-repo/semantics/publishedVersion
Other Identifiers: https://revistas.ucc.edu.co/index.php/sp/article/view/1889
10.16925/sp.v12i24.1889
metadata.dc.rights: Derechos de autor 2017 Spei Domus
Full text: Spei Domus; Vol. 12 Núm. 24 (2016)
Spei Domus; Vol 12 No 24 (2016)
Spei Domus; v. 12 n. 24 (2016)
2382-4247
1794-7928
Appears in Collections:Spei Domus

Files in This Item:
There are no files associated with this item.


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.