Please use this identifier to cite or link to this item: http://repository.ucc.edu.co/handle/ucc/9063
Exportar a:
Title: Lack of birth certificate and violation of human rights
La falta del registro de nacimiento y la vulneración de los derechos humanos
A falta da certidão de nascimento e a violação dos direitos humanos
Author: Ledesma-Lois, Carlos Alejandro
Nettel-Barrera, Alina
Ledesma-Lois, Florencia Aurora
Resume: Introduction: at present, in the territory of the United Mexican States, there is an imprecise number of human beings whose birth has never been recorded, which leads to several negative consequences for the exercise of their rights and has an effect on three different dimensions: A factual dimension, as the State denies services such as access to healthcare, administration of justice by courts, or participation in social security and education programs; an axiological dimension, since the human being is materially excluded from society, depriving them of the legal security that covers those who can identify themselves; and, lastly, a regulatorydimension, when individuals are denied recognition by the State. Methodology: the research problem is approached from the legal realism method, based on the analysis of phenomena that are present in object of study and its explanation, in relation to the sociological, economic, and legal consequences. Results: according to the figures presented, it is estimated that in our country there are around 10 million human beings whose birth has never been recorded, so they do not have access to healthcare, education, justice, recreation and free comprehensive development. Conclusions: the protection of human rights is seriously compromised by the lack of a birth certificate. In this sense, individuals are materially inexistent to the State and are denied the exercise of rights essential to live a decent life.
Introducción: en la actualidad, en el territorio de los Estados Unidos Mexicanos, existe una cantidad no precisa de seres humanos cuyo nacimiento nunca ha sido registrado, lo que acarrea diversas consecuencias negativas para el ejercicio de sus derechos y repercute en tres dimensiones distintas: la dimensión fáctica, al existir una negativa de servicios que proporciona el Estado, entre otros, el acceso a la salud, a que se le administre justicia por parte de los tribunales o a la participación en programas de seguridad social y educación. También se relaciona con una dimensión axiológica, ya que materialmente se excluye al ser humano de la sociedad privándolos de la seguridad jurídica que ampara a quienes tienen la posibilidad de identificarse y, por último, la normativa al negarse la posibilidad de ser sujetos reconocidos por el Estado. Metodología: el problema de investigación se aborda desde el método del realismo jurídico, a partir del análisis de los fenómenos que están presentes en el objeto de estudio y su explicación, en relación con las consecuencias sociológicas, económicas y jurídicas. Resultados: en conformidad con las cifras que se exponen, en nuestro país se estima que hay alrededor de 10 millones de seres humanos cuyo nacimiento nunca ha sido registrado, por lo que no tienen acceso a servicios de salud, educación, justicia, esparcimiento y libre desarrollo integral. Conclusiones: la tutela de los derechos humanos queda seriamente comprometida por la falta de registro de nacimiento. En esta medida, las personas no son materialmente existentes para el Estado y les está vedado el ejercicio de derechos esenciales que les permitan desarrollar una vida digna.
Introdução: na atualidade, no território dos Estados Unidos Mexicanos, existe uma quantidade não exata de seres humanos cujo nascimento nunca foi registrado, o que acarreta diversas consequências negativas para o exercício de seus direitos e repercute em três dimensões diferentes: a dimensão fática, ao existir uma negativa de serviços que o Estado proporciona, como o acesso à saúde, a administração da justiça por parte dos tribunais ou a participação em programas de segurança social e a educação. Também se relaciona com uma dimensão axiológica, já que materialmente se exclui o ser humano da sociedade ao privá-los da segurança jurídica que ampara quem tem a possibilidade de se identificar; por último, a normativa, ao se negar a possibilidade de serem sujeitos reconhecidos pelo Estado. Metodologia: o problema de pesquisa é abordado a partir do método do realismo jurídico por meio da análise dos fenômenos que estão presentes no objeto de estudo e em sua explicação, com relação às consequências sociológicas, econômicas e jurídicas. Resultados: de acordo com as cifras expostas, em nosso país, estima-se que há ao redor de dez milhões de seres humanos cujo nascimento nunca foi registrado, razão pela qual não têm acesso a serviços de saúde, educação, justiça, lazer e livre desenvolvimento integral. Conclusões: a tutela dos direitos humanos fica seriamente comprometida pela falta de certidão de nascimento. Nesse sentido, as pessoas não são materialmente existentes para o Estado e lhes está vedado o exercício de direitos essenciais para desenvolver uma vida digna.
Publisher: Universidad Cooperativa de Colombia
Appears in Collections:DIXI

Files in This Item:
There are no files associated with this item.


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.